Corações Abertos

Ginastas catarinenses entre os Jasc e o mundo

346

Por Heron Queiroz 

 

A ginástica rítmica catarinense já revelou nomes, como os de Luísa Matsuo e Jéssica Maier, que ajudam a colocar o Brasil no cenário mundial da modalidade. Ano a ano despontam, em Santa Catarina, novas ginastas que passam a integrar a seleção brasileira. É o caso da blumenauense Alessandra Correa e da joivillense Mariany Miyamoto, que disputam a 58ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), em Caçador.

Aos 21 anos de idade, Alessandra descobriu a modalidade aos 10, idade um pouco avançada para se iniciar no mundo da ginástica rítmica. Além disso, ela ficou afastada da ginástica em 2013 e 2014. Voltou em 2015, mas fraturou o pé durante um treinamento, ficando fora dos Jasc daquela edição. Como não aconteceu a fase estadual em 2016, seu retorno aos Jasc só ocorreu em 2017, ocasião em que conquistou o primeiro lugar no conjunto de arcos e no geral de conjuntos.

Convocada para a seleção brasileira para disputar a Copa do Mundo de Ginástica Rítmica, Alessandra esteve ao lado de outras brasileiras, em especial da colega catarinense, Jéssica Maier, em Guadalajara, na Espanha, em maio deste ano. Nas apresentações dos conjuntos, na tarde deste sábado (8), em Caçador, foi primeira colocada no conjunto misto (corda e bola), com 12,700 pontos e terceira no conjunto cinco arcos, com 8,250 pontos. A somatória deixa a equipe, até o momento, em segundo lugar, atrás de Florianópolis.

A ginasta agradece o retorno às técnicas Ana Paula Cristen Mohr e Christiane Mogk. “Agora é focar nos treinos e tentar buscar uma das cinco vagas para Tóquio. Isso depende muito mais de mim do que de qualquer outra pessoa”, disse ela bastante motivada.

Coleção de medalhas

Se Alessandra Correa é o destaque nos conjuntos da ginástica rítmica dos Jasc, Mariana Miyamoto é quem mais atrai olhares nos aparelhos individuais.

Participando pela terceira vez dos Jogos Abertos, Mariany , já possui uma coleção de medalhas do evento. Foram quatro medalhas (todas de ouro) em 2015, em Joaçaba, e nove (seis de ouro, duas de prata e uma de bronze) em 2017, em Lages, feito este que pretende repetir nesta edição dos Jogos Abertos. Para isso, ela Passou por treinos intensos com uma técnica búlgara.

A dedicação à ginástica rítmica começo para Mariany ainda aos três anos de idade. Aos nove, começou a competir. Atualmente, é uma das grandes promessas catarinenses na modalidade e já colhe bons frutos. Ela foi convocada para representar o Brasil no Pré-Pan, que acontece em Lima, Peru, de 26 a 30 de setembro. Estando entre as quatro melhores do país, Mariany está confiante em conquistar ums das duas vagas para os Jogos Pan-Americanos em 2019, também em Lima.

Veja Também
Comentários
Carregando...