Corações Abertos

Histórias de profissionais que registram os Jasc

76

 

Por Jairo Pedroso

Os Jogos Abertos de Santa Catarina sempre rendem boas histórias dentro e fora dos locais de competições. Além dos atletas, principais personagens do evento, muitos profissionais que atuam nos bastidores trazem consigo relatos interessantes que vale a pena conhecer.

Histórias como a do paulista Jonas Bezerra, fotojornalista e ex-atleta de vôlei, que percorreu de ônibus em torno de 900 quilômetros de sua terra natal, Américo Brasiliense, até chegar em Caçador para conhecer de perto a maior competição esportiva amadora do estado.

Há 15 anos acompanhando o esporte paulista, com foco no automobilismo e o vôlei (neste como assessor de imprensa em uma equipe de Araraquara), ele conta que há cerca de dois meses manteve contato com um treinador de vôlei de Blumenau a fim de conhecer um pouco mais da modalidade no estado, quando surgiu o convite para ir à região do Vale do Itajaí.

“No entanto, fiquei sabendo que teria em Caçador os Jogos Abertos, onde, além das várias equipes do voleibol poderia ter contato com outras modalidades. Fiz o credenciamento, arrumei a minha mala e decidi vir. Foram muitas horas de viagem até chegar em Ponta Grossa (PR), na primeira parada; em seguida parti para União da Vitória. Ali descobri que apenas o trilho do trem separa os estados do Paraná de Santa Catarina e em poucos passos já estava em Porto União”, conta.

E foi em Porto União que Jonas conheceu a hospitalidade do povo catarinense. Em poucos minutos fez amizade com uma família de Videira a qual, ao saber da sua viagem, o trouxe até Caçador. “Ao chegarmos, por volta da meia-noite de quarta-feira (5), e sabendo que eu não conhecia a cidade e que somente no dia seguinte pegaria a credencial, levaram-me para posar na sua casa, em Videira, me conduzindo no dia seguinte até Caçador novamente. Esta hospitalidade e confiança, coisas difíceis nos dias atuais, ficarão marcados na minha memória para sempre”, destaca.

Com relação aos Jasc, Jonas destaca a experiência nova em algumas modalidades que não existem em São Paulo, como o punhobol e tiros. “Cada estado tem suas características e estou aprendendo muito com o esporte de Santa Catarina. Além disso, contribuo com as experiências adquiridas em São Paulo, onde temos nos Jogos Abertos do Interior modalidades que não existem nos Jasc, como o por exemplo o biribol. Além disso, a competição é dividida em categorias sub-20 e livre, onde cada cidade faz a opção entre uma delas para inscrever as modalidades”, informa.

O profissional mantém um portal de notícias em Araraquara e o material produzido em Caçador também é utilizado neste canal. “Mesmo antes de voltar à minha cidade já estou me programando para retornar no próximo ano e fazer a cobertura da 59ª edição em Indaial, Pomerode e Timbó”, completa.

 

Olhar olímpico nos Jogos Abertos

Os Jasc de Caçador contam com uma equipe altamente gabaritada para registrar os principais momentos sem deixar escapar nada. Muitas dessas imagens são capturadas pelas lentes do experiente fotógrafo Alessandro Koizumi. Ele traz em seu currículo a cobertura de vários campeonatos importantes, tendo como destaque as Olimpíadas do Rio em 2016, quando registrou as modalidades de natação, tênis de campo para a Espanha e o polo aquático.

A experiência no Rio de Janeiro rendeu destaques em alguns trabalhos, com fotos dos multi-campeões das piscinas Michael  Phelps e Katie Ledecky. O trabalho bem feito chamou a atenção de ambos, que solicitaram as suas imagens posteriormente, com destaque para ouro e quebra de record de Kate nos 800 metros livres. “Consegui capturar a imagem projetando a raia em seus óculos e essa fotografia chamou muita atenção”, conta.

Nos Jogo Abertos de Santa Catarina, além de três edições como atleta de natação, está na sua segunda como fotógrafo. A primeira aconteceu no ano passado em Lages. Ele destaca que com exceção do bolão 23 e o punhobol já fotografou todas as modalidades.

Ao finalizar os trabalhos no próximo domingo em Caçador, Koizumi já se prepara para Campeonato Brasileiro de Seleções, onde fará a cobertura da equipe catarinense de natação, e em seguida viaja para a Argentina para registrar os Jogos Olímpicos da Juventude, que acontecem de 6 a 19 de outubro, em Buenos Aires.

 

Veja Também
Comentários
Carregando...