Corações Abertos

Schneider busca seu terceiro recorde no lançamento do disco

Nos Jasc de 2012 o rio-sulense marcou 55,08m, mas no Festival Catarinense de Atletismo chegou a 56,55m

79

O atleta Luís Henrique Schneider, de Rio do Sul (foto), volta aos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) em Caçador na expectativa de superar o seu próprio recorde, no lançamento do disco, estabelecido em 2012 quando o município sediou os Jogos Abertos. Na época defendendo Brusque ele lançou 55,08m, mas de lá pra cá já cravou 56,55m por ocasião do Festival Catarinense, no dia 18 último em Jaraguá do Sul. A briga pela medalha de ouro promete ser acirrada entre Schneider e seu conterrâneo, Felipe Lorezon (campeão sul-americano), que voltam a defender Rio do Sul, com Ánderson Fagundes, de Itajaí, correndo por fora.

Schneider vem se revezando no topo do pódio com Lorezon desde os Jasc de 2011. Foi medalha de ouro em 2011 e 2012. Depois de conquistar a prata em 2011 e o bronze em 2012, Lorezon levou a melhor contra o seu ex-companheiro de equipe em 2013, com Schneider terminando em segundo. Ele deu o troco em 2014. No ano seguinte ficou de fora na segunda fase da prova, enquanto Lorezon ganhou mais uma edição. E no ano passado em Lages a medalha de prata ficou com Lorezon.

O currículo de Schneider é bem mais vasto do que Lorezon, até mesmo pela idade. “Meu primeiro Jasc foi em 2007 conquistando a medalha de ouro e na sequência em 2009 e 2010”, lembra. Ele também ganhou o arremesso do peso em 2009 e 2017. “Antes de bater o meu próprio recorde em Caçador em 2012 consegui um feito inédito”, lembrando que estabeleceu a marca de 50,98m que durava 26 anos e que pertencia a Otmar Welsh, de Florianópolis.

Com o projeto da FMD de Rio do Sul de resgatar os valores que estavam competindo fora, Schneider, que retornou de São José, e Lorezon, que competia por Itajaí, estão de volta. Em comum eles têm o mesmo treinador, Jeberton Fermino, atualmente diretor da fundação. Os dois atletas moravam na mesma rua e sempre iam e voltavam juntos. Até que em 2011 Schneider se transferiu para Ibirama. Logo depois Lorezon foi embora para Itajaí.

Texto:

Orlando Pereira/Especial

Veja Também
Comentários
Carregando...